Nova entrevista com Julia Jones


Julia Jones, a Leah Clearwater, se abre sobre seu “trabalho ótimo”, novas oportunidades e – sim! – trabalhar com Robert Pattinson e Kristen Stewart.

Mundo, conheça Julia Jones. Julia é uma das mais novas adições ao elenco de Twilight, tendo acabado de filmar Eclipse. Jones interpreta o complexo papel de Leah Clearwater, a loba esnobe e solitária da matilha de La Push.

Uma nativa de Boston de 28 anos, educada por uma das universidades da Ivy, Julia Jones falou exclusivamente com o Lime Life antes de retornar a Los Angeles dos sets de Eclipse em Vancouver. Aqui nós começamos uma série de duas semanas na qual ela compartilha a história choncante por trás da qual ela conseguiu o papel de Leah, o jeito que sua vida se transformou quando ela atuou na maior franquia cinematográfica do mundo, e a verdade das relações entre o elenco de Twilight.

Fãs de Twilight e do LimeLife, aproveitem…

LimeLife: Julia, você acabou de interpretar este papel incrível em Eclipse e mal podemos esperar para saber mais. Antes de tudo, você pode nos dizer de onde mais podemos conhecê-la?

Julia Jones: Provavelmente a coisa mais notável que eu fiz foi um papel recorrente em ER. Apareci na última temporada [como a Dra. Kaya Montoya], então foi ótimo participar de algo tão grande e conhecido no final. Todos estavam adorando, então foi uma boa hora para se envolver.

Leia mais após o intervalo!


LimeLife: Soubemos que houve chamadas de casting abertos para Eclipse. Como exatamente você conseguiu o papel de Leah Clearwater?

Julia Jones: Eu já conhecia a diretora de casting há alguns anos. Ela só nos chamou e eu fui fazer um teste com o diretor David Slade e com ela, voltei por volta de uma semana depois e li para algumas pessoas da Summit, David novamente e para alguns dos produtores. E esperei um mês até saber de alguma coisa, e você está certa, naquela época eles estavam fazendo chamadas enormes de casting e indo até o Canadá. Acho que eles aceitaram fitas de qualquer um então de fato todo mundo poderia gravar a si mesmo e possivelmente ser assistido pelo pessoal do casting.

LimeLife: Okay, então basicamente você foi chamada para fazer teste para a maior loucura do cinema atual. Que tipo de relação você tinha com a série Twilight naquela época?

Julia Jones: É interessante porque eu não havia lido os livros antes de conseguir o teste. É claro que eu estava ciente de tudo, tenho bons amigos que são – eu acho que “obcecados” é a palavra certa – por algum tempo (Risos). Depois quando consegui o teste, eu tive uma reação visceral bem séria. Meu coração começou a bater forte, o que é muito incomum mas acho que de algum modo eu sabia que seria algo muito importante e que provavelmente mudaria minha vida.

LimeLife: Julia, você vive uma personagem muito dinâmica e de certo modo bem complexa. Você pode nos falar de Leah Clearwater?

Julia Jones: Sim, claro. Primeiro, ela é a única loba mulher, o que em si já é muito legal, mas ela tem esse passado complicado e está de coração partido porque o líder do bando, Sam Uley, a deixou por sua melhor amiga e prima. Então além disso ela está passando por todas as transformações que ocorrem quando você vira lobo, e como garota não há ninguém que saiba o que está acontecendo com ela – ela está sozinha por aí e deprimida ao mesmo tempo. E isso faz dela uma pessoa brava e malvada, mas na verdade ela só está sofrendo então ela desdenha de tudo.

LimeLife: O que você trouxe à personagem de Leah? Você se identifica com ela?

Julia Jones: A decepção é uma emoção universal e a maioria de nós já sentiu isso – eu já. Então isso claramente foi parte de tudo. Mas também estar tão envolvida no que está acontecendo no seu mundo emocionalmente que você não consegue se conectar ao mundo exterior, isso é uma coisa difícil. Toda vez que você passa por algo doloroso e obscuro, você só quer sair desse mundo, só que não pode. Explorei muito como era isso enquanto me preparava.

Uma das coisas legais que pude trazer a ela foi ser meio moleca e andar com os garotos. Eu sempre fui moleca quando criança e sempre estava competindo. Eu era a única menina no meu time de futebol, e eles eram tão maus comigo! (Risos). Então muito disso foi fácil trazer.

0 comentários:

Postar um comentário