Melissa Rosenberg fala sobre a Saga Crepúsculo

Há uma ligação entre o universo de Crepúsculo e o sociopata Dexter, seu nome é Melissa Rosenberg. A roteirista indicada ao Emmy está envolvida nas duas franquias desde 2007, ano no qual ela começou a escrever o roteiro do romance de Stephenie Meyer.

Devido ao enorme sucesso do filme, Rosenberg virou a roteirista queridinha da Summit, e já escreveu o roteiro de dois filmes da saga, Lua Nova e Eclipse.

O FEARnet conversou com ela em sua casa em Los Angeles, ela tinha acabado de voltar de Roma, onde promoveu o novo filme da série, Lua Nova.

Nessa entrevista, Rosenberg fala sobre suas cenas favoritas, e explica que a cena do pedido de casamento será dividida entre Lua Nova e Eclipse – e que isso não será problema algum se ela escrever Amanhecer.

FEARnet: A Summit deliciou os fãs italianos com um clipe exclusivo de Lua Nova, e que também nos deixou com água na boca.

Melissa Rosenberg: Eles mostraram vários clipes – eles viram muitas partes do filme. Foi legal, os italianos são muito receptivos, são maravilhosos.

Você já assistiu à versão final de Lua Nova?

Eu assisti à uma versão dele. Faltavam alguns efeitos, coisas do tipo. Mas tenho que dizer, é engraçado porque muitos escritores, assim como eu, temem assistir à versão final. Como escritor, você já projeta o filme em sua cabeça e esse filme custa zilhões de dólares. É claro que você não pode fazer o filme todo em sua cabeça, mas você imagina como tudo será. E a versão do diretor é quase sempre uma decepção porque não é igual aquilo que você tinha em mente. Pode ser como um grande ajuste, não é igual ao que você tinha pensado, mas é bom.

Quando eu assisti à versão do Chris, quase depois dos primeiros dez minutos, eu comecei a sorrir. Pensei comigo que eu tinha que sentir o filme. Foi tão emocionante. Está ótimo.

Tenho que dizer, com toda sinceridade, está ótimo.

A última vez que nos vimos foi em uma visita ao set de Lua Nova em Vancouver, você tinha acabado de chegar e parecia muito feliz com as cenas com os Volturi em particular.

Sim, e isso foi no set deles, no cinema será bem melhor. Era um cenário tão exuberante e belo, como se fosse um grande filme mesmo. E o orçamento não era tanto como no Harry Potter por exemplo. Era a metade desse orçamento.

Você colocou algumas cenas a mais em Lua Nova, cenas que não estão no livro, como aquela na qual Jacob dá a Bella um apanhador de sonhos. Você pode nos falar sobre a respeito?

Na verdade, foi um amigo escritor que me deu essa ideia. Eu esstava à procura de cenas na época…Tinha que estabelecer uma relação entre a Bella e o Jacob, ele pode dar presentes a elas, coisas que o Edward não pode. São coisas simples, mas que mostram que o Jacob sente algo por ela. Ele meio que sem querer dá o apanhador de sonhos a ela, mas na verdade, ele já o tinha comprado há muito tempo. Queria que isso fosse algo especial para ele e sua cultura, algo temático para a Bella, o filme mostra muitos de seus sonhos. Seus sonhos são as partes ricas do filme. Então, tematicamente, é uma mistura boa. Eu agradeço meu amigo por isso.

Qual é a cena de Lua Nova que você mais gostou?

Uma das minhas cenas favoritas é uma das finais, quando eles vão a Volterra e confrontam os Volturi. No livro, a cena é feita apenas de falas, o Edward é atacado pela Jane, e isso funciona no livro, é uma cena maravilhosa. É algo bem tranquilo. No filme, por causa da parte visual, eu senti que eu queria me aprofundar nesse conflito, que isso virasse algo como uma batalha. É o mesmo cenário, mas uma cena modificada. E nós vemos uma luta acontecendo entre eles.

Nós vimos a luta entre o Edward e o Felix em um dos trailers, e ela é maravilhosa.

Estou te dizendo: O Chris, os dublês e o pessoal dos efeitos especiais são fantásticos. O Daniel Cudmore teve uma tremenda performance. Adoro ele. Não apenas por ser um dos malvados no filme, mas também por ser um ótimo garoto. Engraçado e charmoso.

No roteiro de Crepúsculo, você escreveu algumas citações do livro da Stephenie. Podemos esperar o mesmo em Lua Nova e Eclipse?

Há algumas citações neles. Em alguns casos, estou parafraseando, mas tento incluí-las o máximo que posso. É algo importante. Traz um sabor do livro ao filme, tentei fazer isso.

Os fãs querem saber: Vai ter a cena do pedido de casamento em Lua Nova?

Ela aparece no fim de Lua Nova, é a primeira parte do pedido. É claro que o pedido em Eclipse, enquanto eles estão deitados na cama, é algo essencial no livro. Quando o Edward se ajoelha, oferece a Bella o anel de sua mãe e ela aceita, essa é uma das cenas mais românticas que a Stephenie escreveu nos quatro livros.

Há tantas cenas e eventos específicos nos livros da série, é possível tirá-las da história, e mesmo assim se manter fiel ao conteúdo?

Sim. Algumas são tão essenciais que você precisa colocá-las no roteiro.

O Wyck Godfrey disse que se o Amanhecer for feito, seria um filme para maiores de 13 anos, é possível permanecer fiel à história e ainda assim ser um filme adequado para um público mais novo?

Bem, sim. Você tem que conhecer o público. E não há razão nenhuma para não ser. Amanhecer pode chegar a ser um filme para maiores de 13 anos.

Você sente que, de um lado você tem que moderar o conteúdo que escreve por causa do público de Crepúsculo, e por outro você pode extravasar em Dexter?

Bem, a verdade é que não tempero muito sobre o que escrevo em Crepúsculo. Não escrevo para um público mais novo. Escrevo para todas as idades, como se fosse para mim. Sou a primeira pessoa a ver com o roteiro fica, e se eu não gostar, os outros também não irão gostar. Você escreve pela visão do personagem, pela sua emoção, e isso não tem idade. A diferença entre Dexter e Crepúsculo é a linguagem usada e a violência presente. Se você mudar a linguagem que Dexter tem, você muda o que ele quer mostrar… e o mesmo acontece se você só ver imagens sangrentas em Crepúsculo. Ninguém fica temperando o conteúdo.

É só os personagens e a emoção continuarem verdadeiros… Tenho que dizer que não me oponho, nem me restrito a nada. Não é só o sangue em si que é assustador, há como ser assustador sem vê-lo.

Em Amanhecer haverá alguns acontecimentos inadequados para o público mais novo do filme. Como você pretende lidar com isso?

Se eu fosse escrever o roteiro de Amanhecer, muitas coisas provavelmente seriam inadequadas, e outras que podem ser implicadas. Não acho que será um problema.

Além de escrever o roteiro de dois filmes da saga, você está escrevendo e produzindo Dexter. Está sendo difícil manter um cronograma?

Dexter está de férias no momento – mas estou tentando manejar um tempo entre a série e a saga. Estive ocupada nos últimos três anos, não estou reclamando. Sinto-me abençoada. Estou um pouco cansada. (risos) Só parei um pouco em outubro. Tentei ficar sem fazer nada.

Você tem projetos futuros que não envolvam a saga?

No momento, eles estão à espera. Estou vendo vários projetos, nada certo ainda. Quero escolhê-los com cuidado.

Você imaginou que escreveria sobre serial killers e vampiros no início de sua carreira?

Na verdade, você nunca sabe sobre o que vai escrever. Eu sempre quis escrever sobre vampiros. Sou fã da Buffy, tentei entrar para a equipe de Angel, mas não deu certo. Sou fã do gênero. Não pensei muito sobre isso, mas quando a oportunidade apareceu foi tudo. Nunca previ que algo assim iria acontecer.

0 comentários:

Postar um comentário