Chris Weitz defende mulher acusada de pirataria

Há alguns dias postamos sobre a história da jovem de 22 anos que foi presa por filmar três minutos do filme Lua Nova no cinema enquanto comemorava o aniversário da irmã. E agora o diretor Chris Weitz expressou sua opinião sobre o caso, defendendo a mulher.


Uma moradora de Chicago enfrentando a prisão por filmar três minutos de “A Saga Crepúsculo: Lua Nova” tem um novo aliado em sua batalha legal — o diretor do filme.

O diretor veterano Chris Weitz disse ao Sun-Times que está abismado com a prisão de Samantha Tumpach em um cinema de Rosemont sob a acusação de ilegalmente copiar o novo filme de sucesso, e ele contatou o estúdio do filme sobre suas preocupações.

“Não é preciso dizer, o caso parece terrivelmente injusto para mim e eu gostaria de fazer o possível sobre isso,” Weitz escreveu em um e-mail.

A jovem de 22 anos poderia receber prisão de três anos após ter sido presa sob acusação de violar os direitos autorais filmando o longa com câmeras portáteis para depois vender cópias.

Tumpach, que passou dois dias na cadeia esperando uma audiência, reconheceu que havia poucos segmentos do filme em sua câmera digital — embora tenha alegado que não estava tentando gravar o filme para vender.

Ao invés disso, Tumpach disse ao Sun-Times na semana passada que estava gravando partes da festa surpresa de aniversário de sua irmã de 29 anos, celebrada no cinema Muvico — incluindo ela e outros membros da família cantando “Parabéns.”

Os três minutos de cenas que ela gravou dentro do cinema, Tumpach disse, também incluíram trailers e propagandas, junto com pequenas partes do filme — e ela falando sobre a câmera e o filme.

“Nunca foi minha intenção gravar o filme,” ela fisse. “Você pode me ouvir falando o tempo todo.”

Weitz questionou se a sua prisão tinha justificativa.

“Existe, não é preciso dizer, uma diferença entre tentar proteger os direitos autorais de um filme e fazer um injustiça com alguém que claramente parece não ter intenções de piratear o vídeo,” Weitz escreveu.

Ele disse que havia contatado o estúdio que lançou o filme, Summit Entertainment, para expressar sua preocupação sobre a prisão da jovem, mas reconheceu que provavelmente há pouco que ele possa fazer para influenciar a decisão no caso dela.

“Não tenho certeza do efeito que teria no caso,” ele escreveu, apontando que “o filme, afinal de contas, não é propriedade minha.”

Tumpach, que enfrenta audiência em 17 de dezembro, não foi localizada para comentar. Ela disse na semana passada que considerou o incidente “um exagero por nada.”

“Estávamos só brincando,” ela disse. “Todo mundo ficou surpreso por ter chegado a esse ponto.”

0 comentários:

Postar um comentário