IESB: entrevista com Peter Facinelli


Peter Facinelli, mais conhecido como o Dr. Carlisle Cullen da série Crepúsculo, visitou o Victoria Gardens para um encontro com os fãs. Com o fim de arrecadar dinheiro para o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), os fãs tiveram a oportunidade de tirar fotos e pegar autógrafos com o ator. A UNICEF está arrecadando doações que beneficiarão as vítimas do terremoto do Haiti.

O IESB sentou com Facinelli para conversar sobre o fenômeno Crepúsculo, sobre como foi trabalhar com David Slade em Eclipse, sobre Amanhecer ser dividido em dois filmes e sobre a estreia de Eclipse em junho.

IESB: Crepúsculo é realmente um fenômeno, quem poderia imaginar que isso aconteceria. Quando assinou para o primeiro filme, você imaginava que ele seria apenas mais um filme sobre vampiros?

Peter Facinelli: Eu sabia que havia fãs dos livros, mas, entre o final das gravações e sua estreia, essa quantidade de fãs aumentou. Estávamos tentado fazer um bom filme para os fãs dos livros, não tínhamos ideia do que isso iria virar, mas sou muito agradecido pelo apoio dos fãs e amo a interação com eles, a energia deles me alimenta.

IESB: Como o David Slade era no set? Cada diretor traz algo diferente à franquia, como foi com o David, considerando que ele já conhece esse gênero de vampiros.

PF: Acho que ele foi uma boa pedida para o que estávamos fazendo. Cada filme teve uma energia diferente, acho que o diretor é quem dá o toque, e o David trouxe uma grande qualidade a ele, há mais ação e ele entendeu os elementos que o filme precisava, assim como a história de amor que há nele. Muita coisa acontece no livro e fiquei feliz que foi ele quem assumiu a direção.

IESB: Esses eventos ficam cansativos, não estou querendo dizer de uma forma negativa, mas a Comic-Con e esses eventos diferentes por todo o mundo, isso chega a ficar tipo, ‘Nossa, há muito para eu fazer!’?

PF: Não, seria bem pior se ninguém aparecesse (rindo). O fato das pessoas estarem interessadas e tão dispostas a vir e dar seu apoio é que eu acho que é importante, e também o fato de vir me ver, sempre fico agradecido por isso.

IESB: Como um artista, você procura dar um tempo e fazer um papel diferente?

PF: Estou nessa carreira há 15 anos, e não acho que os filmes do Crepúsculo me definem como uma pessoa, estou feliz por tê-los em minha carreira. Também estou trabalhando no Nurse Jackie com a Edie Falco, que é algo diferente para mim. Durante esses anos eu tenho tentado fazer coisas diferentes e sempre meus agentes dizem ‘O que você vai fazer agora?’ e eu digo, ‘Nada que eu já tenha feito.’

IESB: Qual é o gênero preferido?

PF: Eu não tenho um, eu procuro fazer coisas diferentes, o que me impulsiona como ator é fazer gêneros diferentes do que já tenha feito, tentar surpreender as pessoas, não ficar estereotipado tipo como mais um dos filmes do Peter Facinelli, tipo ‘Ah, eu sei exatamente o que esperar dele nesse filme.’ E quando eu vejo os papéis que fiz como o de Supernova com o Kevin Spacey e o coloco perto do personagem do Fast Lane, do de O Escorpião Rei e o coloco perto do Carlisle, do Cooper de Nurse Jackie, eles são muito diferentes um do outro, é isso o que me motiva a ser ator. Sou feliz por ser tão diferente do Carlisle porque ninguém me confunde com ele, acho que as pessoas gostam de mim por eu ser o ator a interpretá-lo, e como ator, isso faz com que eu continue a me esforçar. Eu gosto de ganhar um público novo, quero dizer, quando consegui o papel de Crepúsculo, muitas pessoas disseram na internet, ‘Eu não acredito que eles escolheram o Mike Dexter de Mal Posso Esperar como o Carlisle.’ Mas agora que eles já assistiram aos filmes, eles mudaram de ideia.

IESB: Eu quase nem reconheci você.

PF: São personagens muito diferentes.

IESB: Então você está preparado para o grande final épico em Amanhecer, dizem que ele será dividido em duas partes, talvez em 3-D, eles te disseram para ficar pronto para gravar dois filmes?

PF: Eu não pensei muito nisso ainda. Acabamos de lançar o Lua Nova e ainda há a divulgação do Eclipse, estou pronto para promovê-lo, é o meu livro favorito e não vejo a hora dele estrear nos cinemas. Mas, ainda não sei muito sobre o Amanhecer, acho que será difícil filmá-lo, mas estou ansioso para isso acontecer e seguir daí.

IESB: Sei que a Kristen Stewart espera que ele seja dividido em dois filmes, você também gostaria que fosse assim?

PF: Gostaria. Acho que o livro é muito grande, fecha a série com chave de ouro (rindo). Há muitas coisas acontecendo e espremê-lo em duas horas de filme seria difícil, então acho que teria mais sentido que fosse feito em dois filmes. Acho que eles não tomaram essa decisão ainda, mas ouvi dizer que eles estão pensando a respeito. Mas, vou deixá-los tomar a decisão, quando eles me chamarem para aparecer no set, eu estarei lá. Deixarei eles tomarem a decisão e darei meu total apoio. A Summit tem feito um ótimo trabalho com os livros e com as escolhas dos diretores até agora, e lançando os filmes, então defendo as decisões tomadas por eles e estou ansioso para trazer o Carlisle de volta à vida.

IESB: Você pretende escrever, dirigir ou produzir algo no futuro?

PF: Tenho escrito algumas coisas e estou tentando engatar algo do que fiz no momento. Gostaria de fazer os projetos pelos quais tenho paixão, ao invés de esperar para ler as coisas e gostar ou não delas, há alguns roteiros que escrevi que estão em fase de desenvolvimento e estou tentando tirá-los do papel. Então, essa será uma próxima fase da minha carreira, e espero que dê certo, que eu consiga produzir esse material, participar dele, tirar essas histórias do papel.

IESB: E sobre estar na direção?

PF: Eu gostaria de dirigir algo, isso também é um projeto futuro. Estou nessa há algum tempo, já trabalhei com vários diretores, e sinto que sei como contar uma história e isso é definitivamente algo que eu espero fazer.

0 comentários:

Postar um comentário