Stephenie Meyer fala sobre Bree Tanner .

A autora da Saga Crepúsculo respondeu à algumas perguntas sobre seu novo livro A Breve Segunda Vida de Bree Tanner.


A Bree aparece apenas em algumas páginas de Eclipse. O que fez com que você explorasse essa personagem mais a fundo?

No começo, eu não estava especificamente fascinada por ela – foi a ideia dos recém-criados em geral. Enquanto eu escrevia Eclipse, havia muitas outras coisas acontecendo, coisas que, é claro, a Bella não sabia, um tipo de “por trás das câmeras.” Por estar focada na Bella, eu não pude me aprofundar na história dos recém-criados, e isso foi algo que sempre ficou na minha cabeça. Eu tinha que pensar nisso enquanto criava a história: nesse momento a Bella está fazendo tal coisa, e os recém-criados estão fazendo outra. Para manter um padrão, eu fiz um calendário dos meses de maio e junho – que é quando Eclipse acontece – e escrevi o que a Bella estaria fazendo nos dias desses meses e o que acontecia em Seattle enquanto isso. A história dos recém-criados sempre foi algo de grande importância em Eclipse. E eu fiquei triste por não poder explorar muito isso.

A Bree é a única recém-criada com um nome no livro, a única que teve contato com os Cullens (e que não foi morta por eles) e a única que chega a se encontrar com os Volturi. Ela é quem vive mais, então pode nos contar toda sua história. Ela foi uma escolha natural para contar a história dos recém-criados. Depois que comecei a escrever sob sua perspectiva, ela tomou vida. Apesar disso, quando o seu fim se aproximou, foi bem difícil conseguir continuar a escrever. Foi muito difícil matá-la, até mais do que qualquer outro personagem a quem eu já tenha feito isso, apesar dela estar morrendo pela segunda vez. (Antes da Bree, a morte que ela mais lamentou foi a de Walter em A Hospedeira.)

Por que você acha que é importante que as pessoas conheçam a história da Bree antes de assistir ao filme Eclipse?

Eclipse é contado sob a perspectiva da Bella. Isso traz algumas limitações, há muitas coisas acontecendo fora sua história, muitos mistérios. No filme, temos a vantagem de ver o que acontece sob o ponto de vista da Bella. Mas aquele que assisti ao filme, ou que lê o livro, tem o seu jeito de ver as coisas – como os lobos caçando a Victoria em Lua Nova. De todos os livros, é em Eclipse que há mais outras coisas acontecendo além da visão da Bella. Para entender o que passa no filme, precisamos conhecer essas outras histórias também.

Para saber como esses elementos foram incorporados na história da Bree, eu esperava que o livro fosse publicado antes do filme. Pessoalmente, eu sempre quis ler o livro antes de assistir ao filme. Gosto de criar minhas próprias visões sobre o contexto do livro antes que alguém as faça por mim. Provavelmente, a maioria de meus leitores não faz isso, mas para aqueles que o fazem, eu quis lhes proporcionar a chance de criar suas próprias visões da Bree e do exército dos recém-criados.

Como você recomendaria a leitura desse livro, depois do Eclipse ou depois do Amanhecer?

Se eu fosse ler a saga pela primeira vez, eu primeiramente iria lê-la sob o ponto de vista da Bella antes de querer conhecer outras histórias.

Por que você escolheu o American Red Cross para ser ajudado com as vendas do livro?

Eu fiquei muito triste com toda a história do desastre no Haiti. Muitas comunidades da série estavam arrecadando fundos, e me impressionei com isso. Queria continuar a ajudar. Acho que é importante que não esqueçamos o que aconteceu no Haiti e no Chile tão rapidamente, já que isso deixou de ser divulgado pela mídia. Leva muito tempo para que eles se recuperem de tal devastação e ainda precisam da nossa ajuda.

0 comentários:

Postar um comentário